Sacramentos

Sacramentos

Portanto, ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os

em nome do Pai, e do filho, e do Espirito Santo;

Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado..”.( Mt 28:1,20)

 

  1. Sacramento o que vem a ser?

Sacramento é o sinal visível, da graça invisível. Ele comunica e atualiza as promessas infalíveis de Deus. É a palavra promulgada em relação estreita com a palavra pregada. É a palavra visível. Na Igreja Ortodoxa e na Romana são fixados em sete a quantidade de sacramentos: Batismo, confissão, confirmação, matrimônio, ordenação, extrema unção e a Ceia do Senhor. Para os herdeiros da reforma, para a igreja de confissão evangélica dois apenas, são autênticos sacramentos: o batismo e a Ceia do Senhor. E isto, por terem sidos instituídos pelo próprio Senhor Jesus. E também pelo significado que deles emanam.

  1. Chamados comunhão Sacramental?

Os sacramentos comunicam o amor divino em forma de ação. O batismo manifesta a graça preveniente. A Ceia do Senhor revela a autodoação do amor divino que sofre e vence pela humanidade. E por essas razões, desde o começo o batismo e a ceia foram vinculados a vida da igreja. Portanto, é lícito compreender que viver em Cristo é participar da comunhão sacramental da Igreja em Cristo.  O batismo é ligado a grande comissão (Mt 28.18-20). A ceia do Senhor está relacionada as últimas refeições de Jesus com seus discípulos. Assim como o Evangelho é anterior a Igreja, os sacramentos são as consequências da fé. Logo de forma alguma pode se tornar um ato mecânico. Não basta sua realização, a mera celebração do ato, para que seja concedida a graça a todos. Os sacramentos devem ser recebidos cridos, tendo em vista que a exigência para a salvação é a fé (At 8.36-38).  Os sacramentos visam a comunhão pessoal e espiritual com Cristo. Pois, são simultaneamente ato simbólico e ação real de Deus, garantia das promessas do Senhor. E, nesse sentido, completamente independentes da disposição do receptor.

A santidade dos sacramentos, como da igreja, reside em Cristo (1º Cor 1.30), não naquele que administra, assim, a eficácia dos sacramentos, não depende do méritos do ministro que os preside, de forma que, ainda que Judas, Caifás, Pilatos, ou Papa batizassem, verdadeiramente, ainda assim eles receberiam o batismo verdadeiro e santo.

  1. Para que serve os sacramentos?

A fé sempre procura saber que meios, Deus usa para efetivar sua vontade. Na bíblia é possível observar o pensamento mítico, onde a comunicação com divino acontece basicamente no interior do indivíduo, sendo assim não se dá importância a expressões corporais. Porém também pode-se afirmar que toda história de Israel tem caráter simbólico, pois, por toda a bíblia percebemos Deus se revelando e se mostrando presente através de eventos, sinais e expressões externas que o representam e de alguma forma se mostram eficazes. As grandes festas judaicas e os gestos simbólicos dos profetas, como por exemplo a capa de Elias lançada sobre Eliseu e assim o torna seu discípulo (1Rs 19.19-21). Para a bíblia Deus pode e deve ser reconhecido a partir do mundo criado (Rm 1.20). Porém cabe ressaltar que para o novo testamento o sinal inequívoco de Deus é Jesus. Ele é a expressão exata de Deus (Hb1.1).  Assim como Jesus está presente na pregação da palavra propriamente dita, também está presente nos sacramentos. De tal forma que para fé cristã, a palavra e os sacramentos não apresentam graças diferentes e vinculam-se inseparavelmente um ao outro a serviço do evangelho.  Os sacramentos são a palavra promulgada e apontam para o conteúdo central do evangelho, ou seja, para o Cristo, sua obra, sua imagem, nos capacitando a manter firme a confissão diante das dificuldades. Eles funcionam como sinaleiros ao longo da estrada da vida, atualizando a presença do Senhor e o poder da redenção que há nele. Tendo em vista, que o que Cristo fez pela humanidade, não pode ficar no passado, foi uma obra única, perfeita com valor eterno (Hb 9.11-28). Por isso viver em Cristo é viver a comunhão sacramental.

Os sacramentos são as representações litúrgicas da doutrina da justificação pela fé somente.  E assim servem como guardiões da palavra, são sinais da proximidade de Deus. Neles Deus se mostra aos homens, e neles se aproxima transformando-os. . E isto deve ficar claro para todos da fé cristã.

 

 

Conclusão

Os sacramentos são sinais visíveis da graça invisível e comunicam as obras de Deus em Cristo. Eles representam liturgicamente a doutrina da justificação pela fé somente. Portanto, viver em Cristo é também viver a comunhão sacramental.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s